Artigo

26 ago 2015

Corpo de Bombeiros na Itália sua Criação

Corpo de Bombeiros na Itália

Para entendermos o presente necessitamos conhecer nosso passado e para vislumbrarmos o futuro precisamos viver o presente. Assim, os profissionais bombeiros devem conhecer a história de suas atividades em diversas fases da civilização. Os serviços de bombeiros no Brasil são recentes possui uma de história de menos de 150 anos. As corporações asiáticas e européias datam suas existências “Antes de Cristo”. Vejamos um pouco da história da Corporação da Itália.
Segundo relatos históricos a instituição da primeira milícia contra incêndio surgiu na data de 289 a.C. no Império Romano. Em 22 a.C. o Imperador César Augusto instituiu uma Brigada com 600 escravos para vigilância noturna e extinção de incêndios. Posteriormente, a Brigada contava com 7000 homens, agora livre nos serviços de combate a incêndios, com um sistema hierárquico bem definido. Os Brigadistas eram denominados “Vigiles”, posteriormente sendo a “Militia Vigilum”. Assim como o Império sofreu sua decadência, também os serviços de combate a incêndio o sofreram, mas sempre com força voluntária e perseverança política.

vigilio delvig d

Em 1578 J. Besson apresentou o projeto de uma bomba para combate a incêndios que funcionava manualmente com a compressão de um pistão para pressurização da água. Após esse projeto, a bomba foi sucessivamente aperfeiçoada.
Em 1801 Napoleão Bonaparte cria reformas nas forças de combate a incêndio, denominada “Il Corpo delle Guarde-Pompes” , com investimento em equipamentos e pessoal.
De notável interesse técnico e científico, Francesco Del Giudice, publicou em 1848 um tratado sobre prevenção de incêndios, equipamentos utilizados no seu controle, fundamentos da combustão, proteção estrutural dos edifícios e proteção dos envolvidos no controle do incêndio. Sucessivamente em 1851 publica um tratado sobre socorro e salvamento de pessoas.
A primeira bomba de incêndio movida por motor a vapor entrou em operação em 1870.
Em 1885 foi unificada a coloração vermelho e dourado para veículos de transporte das organizações contra incêndio.
Em 1905 foi adquirida em Milão uma auto-bomba Magirus a vapor que viajava a 40 km/h e alcance de até 65 metros.
Durante a Primeira Guerra Mundial, muitos foram os serviços prestados pelos combatentes do fogo, necessitando alterar os padrões normais de atendimento a emergências.
No ano de 1935 foi criado o “Corpo Nazionale Pompieri” (Corpo Nacional de Bombeiros). Foram criadas novas estruturas, com aquisição de veículos, equipamentos de salvamento e combate a incêndio, equipamentos navais, bombas, etc. Todo o material foi escolhido com critérios de uniformidade e intercâmbio.
O “Regio Decreto” 1021 de 1938 alterou a definição dos combatente de incêndios de “Pompieri” para “Vigili del Fuoco”, sendo instituído em 27 de fevereiro de 1939 o “Corpo Nazionale dei Vigili del Fuoco”. Também foram instituídos padrões de treinamento e capacitação, operações e mobilização das equipes.

Nos anos da Segunda Guerra Mundial, o “Corpo Nazionale dei Vigili del Fuoco” se destacou pela coragem e abnegação, com uma notável contribuição para a vida humana. Ao final da guerra, os serviços de reconstrução necessitaram de uma enorme mobilização para normalizar as condições básicas da população. No início de 1949 praticamente o Estado estava reconstruído, com o serviço náutico reestruturado, veículos FIAT equipados com motobombas; foram geradas novas bases de especialização, criadas novas academias para formação de Brigadistas e programado o emprego de rádio-comunicação entre as equipes e veículos de socorro.
Os anos seguintes contaram com a atuação dos “Vigili del Fuoco” nas mais diversas ocorrências, como desastres naturais, incêndios e acidentes inúmeros.
Em 1970 foram criadas as Diretrizes Gerais de Proteção Civil e Serviços Contra Incêndio, evoluindo continuamente em todos os aspectos de prevenção e salvamento de bens, pessoas e meio ambiente.
O modelo operacional dos “Vigili del Fuoco” atualmente é muito eficaz, permitindo acesso rápido às emergências devido a estudos e implantação de postos de bombeiros em diversas localidades, o que permite um acesso rápido aos locais sinistrados, aliados a um aparato tecnológico atual e preparação técnico-operacional exemplares, fazem parte dessas equipes funcionários do governo e voluntários, Sendo hoje uma das mais respeitadas e tradicionais equipes de bombeiros do mundo.




Compartilhe: